Archive Page 2

Ministério da Saúde e SBP lançam Campanha de Amamentação 2012

Foi lançada nesta quarta-feira (1º), no Rio de Janeiro, a Campanha Nacional de Amamentação 2012. O evento ocorre até o dia 7 de agosto, com eventos em todo o país. Durante o lançamento, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou R$ 45 milhões para investir na qualificação do pré-natal em 2.120 municípios.

“As mães que enfrentaram dificuldades de amamentar no passado foram fundamentais para reforçar a importância de conscientizar as mulheres sobre os benefícios do aleitamento hoje”, lembrou o ministro durante o lançamento da campanha, que este ano tem como tema “Amamentar hoje é pensar no futuro”.

A campanha produzida pelo Ministério da Saúde e pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) tem como objetivo incentivar as mães brasileiras a amamentar até os dois anos ou mais e, de forma exclusiva, até o sexto mês de vida do bebê.

“Foi a maior descoberta da minha vida este dom que é amamentar. Se a mulher pode e tem saúde para amamentar, não há motivo para não fazê-lo”, destacou a cantora Wanessa Camargo, madrinha da campanha.

O leite materno é um dos maiores aliados no combate à mortalidade infantil. Só na última década, o Brasil reduziu a mortalidade infantil em 47%, graças a um conjunto de políticas públicas voltadas para a família, a gestante e a criança.

Nesta campanha serão distribuídos cartazes e folhetos aos municípios de todo o país, com a imagem da madrinha Wanessa amamentando o seu primeiro filho e com orientações para as mulheres sobre como amamentar e quais os benefícios dessa prática. Também foram produzidas peças para a internet, televisão e rádio.

A Semana Mundial de Amamentação é uma estratégia idealizada pela Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (Waba, a sigla em inglês) e ocorre em cerca de 150 países. Esse ano, o tema escolhido são os 10 anos da “Estratégia Global para a Alimentação de Lactentes e Crianças de Primeira Infância” (Organização Mundial de Saúde – OMS e Fundo das Nações Unidas para a Infância – Unicef) e seu objetivo é aprimorar as práticas alimentares, melhorando o impacto na sobrevivência, no crescimento e no desenvolvimento, na saúde dos bebês como um todo.

Fonte: Ascom/Ministério da Saúde

Anúncios

Aliança pela Infância realiza Campanha Nacional de Amamentação

A Aliança pela Infância acredita no aleitamento materno como fonte de vínculo, nutrição e desenvolvimento da criança. Assim, a Campanha Nacional da Amamentação faz parte das nossas campanhas anuais. Ela será realizada entre os dias 01 e 07 de agosto, seguindo o calendário da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Neste ano, a Aliança pela Infância realizará a Semana do Aleitamento Materno em parceria com a Casa Ângela da Associação Comunitária Monte Azul, centro de referência na área em São Paulo. Você pode acessar a programação clicando aqui. Haverá um concurso da melhor foto de amamentação da Casa Ângela e todas as pessoas do Brasil podem participar (Veja mais informações e regras aqui). Os prêmios são: 1° Lugar: 1 Sling e a foto sairá em um banner da casa / 2° Lugar: 1 almofada de amamentação / 3° Lugar: 1 boneca estrela e 1 cachecol / 4° ao 10° Lugares: brindes diversos.

Um curso para gestantes é realizado na cidade de Holambra há mais de trinta e cinco anos. O Núcleo da Aliança para Infância no município é parceiro da ação, com suas coordenadoras atuando como voluntárias. O projeto conta com o apoio da Prefeitura de Holambra. Ele será realizado este ano, também em comemoração a Semana Nacional de Amamentação.

As mães assistem palestras que abordam temas importantes. Os tópicos tratados são sobre fertilidade, fecundação e nidição; alimentação da gestante; tipos de parto, cuidados com pré-natal e pós-parto; documentações do bebê; relacionamento da nova família; vacinas, calendário de vacinação e suas reações; amamentação, leite materno, cuidados com os seios; entre outros. Além disso, também são realizados trabalhos manuais com preparação de itens que compõem o enxoval do bebê.

Sapiranga, neste ano, desenvolverá um encontro com as mães da Escola Municipal Klaus Peters que estão amamentando, fazendo a divulgação de materiais com informações importantes sobre o aleitamento materno. Outra ação será visitar algumas mães que moram próximo à reserva Sapiranga, conversando com elas sobre a importância da amamentação e os cuidados que precisamos ter. Muitas delas ainda são adolescentes. Além disso, o núcleo teve a ideia de entrar em contato com o Conselho Tutelar e os Postos de Saúde da região (PSF), para verificar suas poíticas públicas para gestantes e mães de recém-nascidos, trazendo o tema.

O núcleo-semente Recife participará de um “mamaço” que será promovido na Livraria Cultura da cidade. Eles levarão materiais informativos para distribuição.

Entre em contato conosco para mais informações!
e-mail: alianca@aliancapelainfancia.org.br
telefone: (11) 3578-5001 ou 5004

Vamos comemorar o Dia dos Avós?

Image

Hoje é Dia dos Avós! O que você acha de surpreendê-los e organizar uma tarde de gincanas com brincadeiras de seu tempo?

Brincar Cinco Marias, soltar pião ou jogar bolinhas de gude são coisas que eles certamente saberão fazer e ainda podem ensinar as crianças!

Feliz Dia dos Avós a todos os vovôs e vovós do mundo!

Semana Nacional da Amamentação

Caros amigos da Aliança pela Infância,

Venho lembra-los que, na  semana de 01 a 7 de agosto deste ano,   teremos a nossa campanha nacional sobre  Amamentação.

Segue abaixo algumas fontes que recomendamos para saber mais sobre Aleitamento Materno!

Um grande abraço!!

Giovana

Fontes sobre Aleitamento Materno:

1-O que diz o ECA:
Art. 7. “A criança e o adolescente têm direito a proteção à vida e à a saúde, mediante a efetivação de políticas públicas que permitam o nascimento e o desenvolvimento sadio e harmonioso, em condições dignas de existência”.
Art. 8. “É assegurado à gestante, por meio do Sistema Único de Saúde, o atendimento pré e perinatal.
§ 3° Incumbe ao Poder Público propiciar apoio alimentar à gestante e à nutriz que dele necessitem”.
2-Comitê Estadual de Estímulo ao Aleitamento Materno
(67) 3318-1696
3- Comissão Estadual de Bancos de Leite
(67) 3322-4174
4- Setor de Saúde da Mulher da Secretaria de Estado de Saúde
(67) 3318-1696 / 3318-1704
5- Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande
(67) 3314-3047
6- Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso do Sul
(67) 3318-1716
7- Sociedade de Pediatria de Mato Grosso do Sul
(67) 3382-4524.4

Sites:

http://www.casaangela.org.br/
http://mamamiaamamentar.wordpress.com/2010/04/28/semana-mundial-de-aleitamento-materno-2010/
http://www.worldbreastfeedingweek.org/
http://waba.org.my/
http://www.rehuna.org.br/index.php
http://www.amamentar.net/
http://www.amigasdopeito.org.br/
http://www.blogmamiferas.com.br/2011/05/mamaco-na-midia.html
http://www.sosamamentacao.org.pt/default.aspx?language=pt

Brincando, a gente pode errar

Image

Em um encontro realizado no último dia 16 de junho, sábado, no Auditório da Escola Municipal de Astrofísica (EMA) do Parque Ibirapuera, a professora e mestre em Educação, Roselene Crepaldi , animou a manhã de 50 pessoas. Rose é coordenadora do Programa Ludicidade da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação da Cidade de São Paulo, além de  membro do Conselho Deliberativo  da Aliança pela Infância no Brasil.

Sob o tema “O Brincar e a Criança – a Importância do Brincar”, Rose falou sobre como encontrar tempo e espaço para brincar, com quem brincar e como garantir o direito de brincar num mundo tão conturbado. Também fez um convite para que os participantes relembrassem brincadeiras do passado e, com sua alegria contagiante, envolveu todos na brincadeira “Vento, Tempestade e Terremoto”.

Confira a entrevista que Rose Crepaldi concedeu à Aliança pela Infância.

Aliança pela Infância: “Brincando a gente pode errar”. Qual o peso desta afirmação?

Rose Crepaldi: Antes de responder, eu gostaria de propor uma reflexão sobre o ter e o ser. É preciso entender o quanto e por que as crianças querem ter e, mais do que isso, entender o quanto os pais querem que os filhos tenham. Estamos vivendo a cultura do ter em detrimento do ser. Há algum tempo, tive uma experiência riquíssima com uma ONG internacional que, no Afeganistão, trabalha com crianças, especificamente meninas de até 12 anos, com o objetivo de recuperar, em cada uma delas, a alegria de viver. Estas meninas viram mulheres que não podem errar. E o brincar oferecido por esta ONG, como de resto o brincar que todos nós conhecemos, apesar das regras da brincadeira, nos deixa livres e no comando de nossas próprias escolhas. Brincar é, de fato, uma experiência de liberdade.

Aliança pela Infância: Você falou sobre o crescimento do brincar como profissão. Explique melhor para nós esta novidade.

RC: Esta novidade é muito especial. Alguns países, particularmente a Inglaterra, estão reconhecendo a profissão chamada play worker. Os play workers são brinquedistas, profissionais do brincar que viajam o país a bordo de um container com verdadeiros achados – cadeiras, espelhos, brinquedos, louças, roupas, almofadas e todos os itens que lá couberem – que se transformam em brinquedos. Nas cidades, eles dão uma oficina e ensinam adultos e crianças a dar luz ao faz de conta. É, sem dúvida alguma, uma solução muito inteligente e que podemos adotar nas nossas casas, nas escolas e nas creches.

 

Aliança pela Infância Como o brincar é retratado nas leis?

RC: O brincar está na lei há séculos. No século XVII, entrou nos Direitos Naturais do Homem e do Cidadão; no século XX, na Declaração Universal dos Direitos da Criança; hoje, o artigo 16 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), diz que é direito de toda criança e adolescente “brincar, praticar esportes, divertir-se”.

 

Aliança pela Infância Como você vê o brincar hoje?

RC: Cada vez mais nossas crianças estão perdendo o espaço do brincar para o trânsito, para a violência, para o computador. Há 50 anos, as famílias eram mais numerosas, havia menos carros e mais visitação. A estrutura familiar era outra. As pessoas moravam em casas com quintais e as crianças brincavam naturalmente, todos os dias. Hoje a família se reúne na sala, em volta da TV. As experiências hoje são mais virtuais e menos vivenciadas. Os hábitos urbanos estão se modificando e as pessoas estão perdendo seus espaços. Na minha avaliação, é preciso resgatar o básico e observar com muita atenção a quantidade de estímulos que estamos dando às nossas crianças. Só assim vamos garantir que elas usufruam o direito ao brincar.

No frio também se pode brincar em casa!

brincar em casa

Foto: ImageShop/Corbis

 

No inverno, o frio muitas vezes espanta as pessoas da rua ou de outros lugares abertos, como praças e parques. Isso não significa que as crianças devem deixar de brincar. Muito menos, que devem ficar em frente à TV. Há algumas brincadeiras para se fazer dentro de casa. Brincadeiras populares, como a mímica, estátua, vivo ou morto ou dança das cadeiras não precisam de muito espaço para acontecer.

Fazer uma “cabana” no quarto com lençóis ou cobertores pode ser muito divertido. Stop é uma boa opção para crianças maiores, que sabem ler e escrever. Se quiser ensinar um jogo novo para as crianças, que tal dama? Ela exige raciocínio, concentração e estratégia.

Dia do Brincar deve ser comemorado todos os dias

Hoje, 28/05, é o Dia Mundial do Brincar. Uma data tão importante no universo infantil que é comemorada com uma semana inteira de atividades e brincadeiras promovida pela Aliança Pela Infância.

No último domingo, 27 de maio, foi o encerramento deste evento tão aguardado por todos os educadores e parceiros da rede, mas o objetivo da semana e deste dia, o brincar, deve ser inserido no dia a dia de todas as crianças e dos adultos também.